Como Escrever Mais Usando o Método 3×3

Vou partilhar um método para aumentar a produtividade na escrita e escrever mais textos em menos tempo. Chamo a isto o “método 3×3”, mas você poderá encontrá-lo com outros nomes. Não sei se ele tem um nome oficial, e não fui eu quem o inventou. Basicamente, este método consiste em dividir o texto em partes menores e tratar cada parte separadamente. Bem, é isso. Não sei se continue escrevendo…

Porquê “método 3×3”?

Chamo a isto Método 3×3 porque ele consiste em dividir o texto em três partes ou tópicos, e depois dividir cada uma dessas três partes em mais três partes ou subtópicos. Então, o texto consistirá nessas noves partes / subtópicos mais uma introdução e uma conclusão. Ou seja, o texto finalizado terá um total de onze partes e, claro, um título. Então talvez eu devesse tê-lo chamado de “método 3×3+1+1+1”, mas isso seria demasiado complicado, não acha?

Este método de escrita funciona bem sobretudo quando você “encalhou” numa parte do texto e não sabe como o continuar – é um “desencalhador de textos” – e funciona melhor com textos que você está a escrever em “modo brainstorming” que envolvem criatividade em vez de textos que envolvem pesquisa ou listas. No entanto, os subtópicos podem, eles próprios, ser listas.

O método também é útil quando você não sabe como começar ou como terminar o texto, porque, com a dica que vou dar a seguir, a introdução e conclusão quase se escrevem sozinhas. 😉

Eu digo que elas se escrevem sozinhas, porque, depois que você terminou os tais três tópicos e os tais três subtópicos e já sabe tudo o que escreveu, apenas precisa antecipar isso na introdução – dizer ao leitor o que ele irá ler – e resumir isso na conclusão – resumir ao leitor o que ele acabou de ler.

Com isso, você já percebeu que a parte forte do texto e a parte por onde você irá começar é o corpo do texto logo depois da introdução. Ou seja, você irá começar no primeiro subtópico do primeiro tópico. Espere, você estava pensando em começar o texto pela introdução? Quem pensaria em fazer isso? Aposto que agora você está pensando que não deve terminar pela conclusão, certo? Não; termine.

Qual o tamanho de cada bloco ou parte de texto?

Você quer dizer “qual o tamanho de cada subtópico”, certo? Depende… Depende do tamanho total que o texto ou artigo deverá ter, de quanto você sabe sobre o assunto, ou de quantas palavras você precisa, no caso de estar sendo pago por palavra. Cada subtópico pode ser tão pequeno – apenas um parágrafo – ou tão grande quanto você quiser.

Se você vir que um subtópico se começa a estender bastante e que “dá pano para mangas” talvez ele sirva para criar todo um outro texto com as suas próprias 3×3+1+1+1 partes. Em relação aos tópicos, eles apenas precisam ter uma frase ou título / “heading” a negrito para que se distingam dos subtópicos, mas se tiverem um ou mais parágrafos, então é melhor indentar os subtópicos para haver uma separação entre tópicos e subtópicos.

Se usar o Método 3×3 em todos os textos, eles não ficarão “iguais”?

Se você mantiver a estrutura do texto e as divisões das partes até ao final, então sim, eles ficarão “iguais” e a estrutura deles poderá ser notada pelo leitor, mas basta não usar indentações nem destacar os nomes de tópico para essa estrutura desaparecer aos olhos do leitor, e parecer apenas um texto “corrido”.

De qualquer forma, não há problema na estrutura ser visível, pois o que interessa é o conteúdo do texto, e esse sempre será – ou deverá ser – diferente e original. Dica: para ajudar a tornar a estrutura do texto invisível, não comece a conclusão com a palavra “Conclusão” (essa foi uma dica de nível “ninja”).

Exemplo de criação de texto usando o Método 3×3

Como este é um método que usa ideias e criatividade em vez de, por exemplo, citações ou dados obtidos de pesquisas, comece por pensar em três grandes tópicos dentro do assunto sobre o qual vai escrever (estou a assumir que você já sabe sobre que assunto vai escrever), e escreva esses tópicos no seu texto.

Neste momento, o seu texto deve ter ainda apenas um título, e, abaixo dele, três linhas de texto, talvez a negrito (cada linha é um tópico). Esses tópicos podem ser dúvidas que você acha ou sabe que o leitor poderá ter sobre esse assunto. Se eles forem dúvidas, basta transformá-las em perguntas. Que fácil, não? Pergunta: já que esses tópicos agora são perguntas, onde estarão as respostas? Resposta: nos subtópicos.

Para dar mais diversidade ao texto, alguns subtópicos podem incluir listas ou serem, eles próprios, listas. Para terminar, basta reler todo o texto para corrigir, acrescentar, ou eliminar, o que necessitar ser corrigido, acrescentado, ou eliminado. Para que fique mais fácil, veja o seguinte esquema que mostra a estrutura de todo o texto, e que você pode escrever ou colar no seu documento em branco:

[introdução]

[tópico 1]

        [subtópico 1]

        [subtópico 2]

        [subtópico 3]

[tópico 2]

         [subtópico 1]

         [subtópico 2]

         [subtópico 3]

[tópico 3]

        [subtópico 1]

        [subtópico 2]

        [subtópico 3]

[conclusão]

Você pode alterar o número de tópicos e de subtópicos se quiser escrever textos mais longos ou textos mais curtos. Enfim, pode personalizar esse esquema da forma que for melhor para você. Como viu, este é um método muito simples (ou eu o teria chamado de Método 3×3+1+1+1), que é quase só a parte de criar ideias – o tal “brainstorming” – e transformá-las em texto.

Isso permite escrever mais depressa, isto é, escrever mais textos em menos tempo – textos rápidos – e é bom sobretudo para redação em sites e blogs, mas se quiser criar textos com mais qualidade, precisa rever, reescrever e editar (afinal a primeira versão de algum texto quase nunca é boa), precisa incluir mais etapas, precisa escolher o tom de “voz” certo, precisa escolher as melhores palavras para a sua audiência ou nicho.

Tudo isso é muito importante para redatores web. Também será boa ideia olhar a fluidez do texto para que o leitor o percorra facilmente, talvez reorganizar algumas das ideias expostas, talvez usar linguagem mais precisa e profissional, talvez usar um estilo de escrita que persuada o leitor a tomar determinada ação – os copywriters adoram fazer isso quando precisam convencer o leitor a comprar algo.

Leia também dicas para digitar rápido no Microsoft Word