GearBest

Trailer e Sinopse do Filme Primer

Este artigo será o primeiro de alguns que publicarei sobre o filme PRIMER (2004, de Shane Carruthers) e é dirigido a quem ainda não viu o filme, o próximo deverá conter spoilers (revelações sobre a história) pelo que será mais indicado para quem já o viu e procura respostas. Vou adiantando que eu adoro filmes sobre viagens no tempo e embora este seja de 2004 apenas o vi pela primeira vez há uns dias.

Poster do filme Primer

O Primer é um filme sobre viagens no tempo e sobretudo como isso pode destruir e afectar os relacionamentos entre as pessoas, este não é um filme para qualquer pessoa, ele deve ser visto com muita atenção e quase de certo irá requerer vários visionamentos até ser entendido. Aposto que muitas pessoas desistiram dele após os primeiros 20 ou 30 minutos mas é aí que ele começa a ficar interessante.

O último filme de viagens no tempo que me fez pensar e procurar explicações para ele foi o DONNIE DARKO, quando o vi pela primeira vez também não percebi muito sobre o que estava a acontecer, mas depois de ler algumas análises sobre ele e sobretudo a explicação do realizador o filme passou bem para o topo da minha lista dos melhores filmes sobre viagens no tempo. (Há elementos que ajudam a explicar a história no Donnie Darko mas que nunca são mencionados no filme, como a existência de determinadas entidades do futuro, ou o conteúdo real do livro que aparece no filme.)

Então o Donnie Darko está entre os meus favoritos junto à trilogia REGRESSO AO FUTURO (com Michael J. Fox), TRIANGLE (2009, de Chris Smith, com Melissa George), RETROACTIVE (1997, com James Belushi e Kylie Travis), ou LOS CRONOCRIMENES (Espanha, de Nacho Vilalongo), e certamente alguns outros de que não me recordo neste momento. O Donnie Darko tem uma sequela chamada S. Darko em torno da irmã de Donnie, Samantha, mas este filme tem análises tão más que ainda não ganhei coragem de o ver…

Também quero mencionar uma comédia japonesa que envolve viagens no tempo chamada SUMMER TIME MACHINE BLUES (com Juri Ueno e outros nomes que não me atrevo a pronunciar para não ofender nenhum japonês que possa estar a ler isto em algum dimensão paralela no futuro) onde um grupo de jovens usa uma máquina do tempo para recuperar um controlo remoto avariado para o aparelho de ar condicionado! Considero-o tão divertido como o Regresso ao Futuro e é dos que posso ver vezes sem conta (e de facto já vi) sem me cansar!

No entanto o Primer não se assemelha a nenhum dos que mencionei: Ele não tem a diversão de Regresso ao Futuro, não tem o horror de Triangle, não tem a acção de Retroactive, não tem a originalidade dos Cronocrimenes (neste as viagens no tempo são de apenas cerca de uma hora mas o suficiente para causar problemas), nem o lado negro e assustador de Donnie Darko. (Lembra-se do coelho gigante? Acho que tive pesadelos com ele…), nem as garotas japonesas do Time Machine Blues.

“Mas, Sérgio Catarino, o que o Primer tem afinal?!”

Tem originalidade, tem revelações inesperadas, tem amizades, mas também segredos, enganos, mentiras. Tem relógios de pulso (analógicos e digitais), tem câmaras de vídeo e auscultadores, tem garagens que poderão ou não ser fumigadas, e frigoríficos. Tem pessoas que falam francês. E tem viagens no tempo.

Quando vi o filme Primer pela primeira vez admito que não percebi nada, mas como sabia pelo que já tinha lido sobre ele que merecia pelo menos uma tentativa em entender a história, procurei sites e fóruns sobre ele e encontrei bastantes. Desde as threads no IMDB sobre o filme, até fóruns, e até um livro que alguém escreveu chamado The Primer Universe, estive ocupado lendo (quase) tudo isso nos últimos dias! Entretanto revi o filme uma segunda vez e à luz de novas informações ele melhorou bastante. Ainda o irei rever mais algumas vezes e quem sabe, talvez ele acabe na minha lista de favoritos também!

Acho que as pessoas que dizem que o Primer é um mau filme apenas o viram uma vez e provavelmente esperavam outra coisa. Assim nunca colocaram a dedicação e atenção necessárias para perceber pelo menos o básico do que se está a passar. Primer não é um Regresso ao Futuro, ele não é um filme para ser visto a comer pipocas enquanto se conversa com os amigos sobre outra coisa qualquer.

Sinopse e algumas coisas que convém saber sobre o filme

O Primer foi feito com apenas 7000 dólares! Isto é uma quantia ridícula quando pensamos que alguns custam milhões (embora isso não garanta que sejam bons). O autor da história, Shane Carruthers também realizou, interpretou (Aaron), e fez a banda sonora!

Aaron e Abe são dois amigos e colegas que além de trabalharem para uma grande empresa também desenvolvem pequenos projectos com dois outros colegas, Robert e Phillip trabalhando nestes projectos ao fim de semana e depois do horário de trabalho, normalmente em casa de Aaron. Aaron é casado com Kara e tem uma filha.

Ao trabalharem num novo projecto que envolve tentar tornar objectos mais leves, Aaron e Abe descobrem que a máquina que construíram é na verdade uma máquina do tempo! Aaron e Abe imediatamente percebem que isto é muito mais importante do que qualquer outro projecto da equipa e decidem manter a máquina do tempo em segredo até mesmo de Robert e Phillip e da esposa de Aaron.

Os primeiros minutos do filme mostram-nos as personalidades de Aaron e Abe, e tal como todo o filme devem ser seguidos com atenção.

Abe – “Na sua mente Abe já estava a compilar a lista…”

Abe é metódico (cria listas), cuidadoso (verifica se tudo está bem ligado antes de deixar Aaron fazer alguma coisa), preocupa-se com paradoxos (cria uma maquina do tempo extra para segurança – máquina “fail-safe” – ainda antes de fazer a primeira viagem ao passado para ter um momento anterior ao qual regressar caso algo corra mal em futuras viagens), e causalidades (encerra-se num quarto de hotel para evitar qualquer interacção com o seu “eu” do passado nessa linha temporal e alterar os acontecimentos futuros).

Aaron – “Algumas destas coisas tu já conheces”

Aaron quer estar em controlo (tenta ficar em vantagem destruindo a máquina do tempo de segurança de Abe e criando as suas), e não se importa de fazer “batota” (tanto para ter vantagem num jogo de palavras onde inventa uma palavra que não existe – no quarto de hotel, mas não tenho certeza sobre isto – ou na vida), pode mentir aos amigos (exclui os restantes companheiros do novo projeto, aparece à mulher como Aaron do futuro, mas agindo como Aaron do presente), tenta enganar Abe, tenta usar a máquina do tempo para aparecer como herói na festa de Robert com Rachel e a situação com o ex-namorado violento.

Trailer de Primer (não faz justiça ao filme)

Ver no Youtube.

Leia a primeira parte de uma série de repostas para Primer.

E aqui a segunda parte com mais respostas.

8 opiniões sobre “Trailer e Sinopse do Filme Primer”

      1. Mas o fungo teria que ficar fisicamente dentro da máquina o mesmo tempo que ele viajou para o passado. Isto é, se ele se desenvolveu o equivalente a 5 anos ele teria que ter ficado 5 anos dentro da máquina (nem existia máquina do tempo a 5 anos atrás!). Como ele ficou algumas horas ou minutos, ele apenas poderia ter se desenvolvido o equivalente a este tempo.

        1. Interessante. Acho que foi porque quando isso aconteceu, a máquina ainda não era a “máquina do tempo” como depois a viemos a conhecer mas ainda o projeto no qual o grupo de amigos estava trabalhando e que era algo relacionado ao controlo da gravidade. Nessa fase do projeto Aaron e Abe descobriram os estranhos fenômenos que a máquina estava criando e a partir daí, desenvolveram em segredo a máquina do tempo. Ou seja, o detalhe de “ter de passar a mesma quantidade de tempo dentro da máquina igual ao tempo da viagem” só veio a acontecer no projeto acabado. O que acha?

          Enquanto isso, aproveito para recomendar a nova temporada de X-Files -É isso, uma das melhores séries de TV de sempre está de volta!!!- com David Duchovny como Fox Mulder e Gillian Anderson (que também pode ver na série Hannibal) como Dana Scully. Vou até aproveitar para rever toda a série antiga. IMDB: http://www.imdb.com/title/tt4370492/ .

          1. Nossa, erro meu. Só assisti uma vez e acho que não tinha prestado muita atenção nessa parte. Você está certo. Não era a “máquina do tempo” como depois viemos a conhecer, mas era uma máquina do tempo que funcionava diferente.
            Agora acho que é mais ou menos assim:
            A e B são dois pontos afastados por um certo tempo t. A é quando a máquina é ligada. Abe chama a máquina nessa fase de estúpida, porque ela leva do ponto B para o ponto B. Ele dá o exemplo para t=1min, A=12:00 e B=12:01. Você coloca alguma coisa nela em B=12:01 e ela da uns 1300 loops e volta para B=12:01. Nesses 1300 loops a coisa experimenta um deslocamento no tempo de 1300t (1300min no exemplo). Então nesta fase a máquina tem o poder de envelhecer as coisas (infinitas possíveis aplicações), diferente da máquina que eles criam depois, que leva de B à A em apenas uma viajem e é a maneira mais eficiente que ela pode trabalhar.

            Estava procurando algo para assistir. Obrigado pela sugestão, talvez assista. Não assisti a séria antiga do X-Files, mas me lembra Fringe.

          2. Gostei da sua explicação sobre o Primer.

            Sim, Fringe é o mais próximo de X-Files que conheço e ambas séries são muito boas; gostei mais das primeiras temporadas de Fringe, antes da introdução dos personagens do outro universo. Curiosidade: a atriz Anna Torv de Fringe faz uma das vozes na animação Heavenly Sword ( https://www.youtube.com/watch?v=oovoY1mG_Z4 ).

            Recomendações, Espanha: Abre los Ojos (1997); e claro, o que sempre recomendo, Los Cronocrimenes (2007), detalhe para o fantástico “fan service” por parte da atriz numa das cenas.

            Mais recomendações, diferentes temas: Enemy at the Gates (2001), que assisti depois de alguém o qualificar como “o melhor filme de sempre sobre snipers”; a trilogia REC (Espanha, 2007, 2011, 2014), sobretudo o primeiro; Spectre (2015), James Bond de novo, e Hitman Agent 47 (2015), estes dois apenas para bom entretenimento mas para esquecer logo depois.

            Bons filmes!

  1. Enemy at the gates era uns dos meus prediletos quando era criança, conhecia-o apenas pelo nome em português, Círculo de Fogo. Abre los Ojos me deixou com uma sensação ruim. Às vezes eu sonho com coisas que acontecem no dia seguinte. Será que tudo é um sonho? rs
    Falta apenas o Hitman. REC acho que não vou assistir.
    Los Cronocrimenes assisti ano passado, realmente muito bom. Mas qual cena tem o “fan service” que você se referiu?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.